terça-feira, 20 de setembro de 2005

InterRail 2005, Paros (14ºdia)

Porra, hoje acordamos sobressaltados com um barulho ensurdecedor de veiculos a passar. O nosso quarto esta' ao nivel da rua, num cruzamento demasiado movimentado. Tambem, ninguem nos manda deixar as janelas abertas. Aqui parece que toda a gente tem um escape de alto rendimento nos carros e nas scooters ... e estas ultimas sao as centenas nesta ilha.

Vamos la' alugar uma tambem. Apos termos passados por todas as casas de aluguer, decidimos ficar na ultima, que nos fez o aluguer de uma por 20 euros por 4 dias. Isto agora e' que vai ser fazer quilometros. Ja' nao andava de moto ha algum tempo.

Fomos explorar as praias da parte nordeste da ilha de Paros. Apos sairmos da vila, a estrada estava deserta. Tambem nao se via ninguem nos campo. De vez enquanto cruzava-nos com alguma scooter de outro turista tambem em exploracao. Reparamos tambem que todas as casas sao iguais. Brancas de cal com as janelas e portas pintadas de azul (como a bandeira grega) e um jardinzinho a' frente. E claro sempre viradas para uma fantastica vista do mar.

Primeira praia. Pedaco de areia cravado nas rochas, com uns 20 metros de extensao. So dois casais. Praia seguinte, sem rochas, praia mais longa, mas ainda so' dois casais a apanhar sol. Mau, isto comeca a ser um marasmo. Onde estao aquelas "partys" selvagens que so a juventude inglesa e americana conseguem fazer? Praia seguinte, Molos. Era uma extencao enorme - 100metros - e ja la estavam uma multidao de 4 casais. Ficamos por la' porque senao nao iamos ficar bronzeados hoje. Ao menos a inglesa da toalha ao lado mostrou-nos o rabo enquanto trocava de biquini. Quanto a' agua era um espectaculo: quente, com a ondulacao de uma piscina e tao limpida que se podia ver os calhaus a 2 metros de profundidade. Alem disso tinha-se que caminhar uns 50 metros antes de ficar sem pe'. Era uma verdadeira praia digno de meter num chinelo qualquer praia algarvia. Agora sei porque nunca encontrei um turista Grego em Portugal, para alem dos poucos que vieram para o Euro. Eles tem do melhor nesta parte do mundo.

Regressamos ao fim do dia. Tinhamos feito 80 km perdidos pelo meio dos vales e montes.

Finalemente fomos uns minutos a' Net, a 3,60 euros/hora!. Apos isto fomos de volta ao quarto do hotel. Que jeito deu o frigorifico do quarto cheio de fruta e uma televisao com uns canais que passavam filmes recentes.