domingo, 24 de maio de 2009

4ª Meia Maratona do Douro Vinhateiro

Mais uma meia-maratona de 21km! Mas desta vez não fica para história um tempo recorde (só a fiz em 2h), nem por ser uma mega concentração de participantes (só 6.000). 

Esta é digna de ser referida neste blogue por a considerar com o melhor percurso  de todas as que participei.

Esta prova decorre em Peso da Régua, a 100km do Porto. Esta região é imagem de marca do Douro, com as vinhas plantadas em socalcos, a descair para o Rio Douro. 

O percurso começa na estrada por cima da Barragem da Bagaúste. Depois do tiro da partida viramos para a esquerda, a subir o Rio. Em menos de 1 minuto, desaparecem as habitações e pessoas.

E assim começa um percurso pelas margens do Rio. É um silêncio tal que só se houve o som das sapatilhas a bater no alcatrão. Isto só é perceptivel para quem ficar logo para o fim, como eu. Esta "monotonia" só é quebrada pela passagem ocasional dos barcos de turismo, ou então pelos sumptuosos solares e vivendas que aparecem a cada esquina. Esta é a prova ideal para finalmente apreciar com calma a boa música guardada no IPOD. E já agora, um copito do vinho do Porto ... perguntem pela garrafa no reabastecimento.

Margem do rio

A única critica que posso indicar ao percurso é ser feito na mesma estrada, nas duas direcções. Já que facultaram autocarros para nos levarem para a partida, podiam-nos deixar ainda mais longe. 

Em compensação, agradecemos todos no fim da prova, a disponibilidade de banhos de água quente. Ao fim de duas horas ao Sol e a suar, sabe sempre bem passar por água. 

Por tudo isto, está recomendado. Para quem tiver curiosidade por mais informações ou quiser mesmo participar, consultem esta página da organização. 

Foto de grupo

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Canoagem no Rio Cávado

Para variar, desta vez não vou escrever um grande texto. Vou deixar as fotografias contarem por mim. Neste feriado de 1 de Maio, fiz um passeio de canoa. O objectivo foi descer o Rio Cávado.


Quem tiver curiosidade, pode encontrar estes barcos à venda naDecathlon.

Percurso começou 6,8 Km a montante de Barcelinhos, num açude existente (Azenhas areias de vilar). 



Começou com um "briefing" de 5 minutos. Os pontos referidos foram:
  • Divisão das pessoas pelas canoas: intercalar no mesma canoa quem sabe e não sabe nadar, quem já tem experiência ou não,
  • Nunca passar à frente do semi-rígido dos bombeiros de Barcelos,
  • Dois pontos de paragem para atravessar açudes,
  • Um ligeiro rápido imediatamente antes de terminar o passeio.
 


A partida às 14h45m! Estimo que estavam 100 barcos na àgua. Esta foto foi tirada a meio do pelotão.



No dia anterior houve algumas dúvidas entre nós com o que se devia/podia vestir e levar no passeio. Aqui ficam as minhas recomendações com o que aprendi: 
  • Calçar chinelos, botins neoprene ou mesmo crocks. Não façam descalços porque é preciso muitas vezes caminhar no leito do rio ou nas margens. Não usar sapatilhas porque ficam ensopadas.
  • Calções de praia, se possível dos compridos.
  • Tshirt de manga comprida e chapeu de abas. O Sol bate forte durante mais de três horas. Mas como estamos no rio molhados e com uma brisa fria constante, não nos apercebemos disso. Pessoalmente arrependi-me de não ter levado a minha t-shirt de lycra preta (do mergulho). A meio fiquei com muito frio por estar completamente encharcado.
  • Óculos de sol. A luz solar reflecte na àgua como um espelho e cega por completo com a sua claridade.
  • Uma garrafa de àgua.
  • Eu levei uma mochila com uma t-shirt e toalha. O objectivo era trocar no fim. Mas quando chegamos, escorria àgua lá de dentro e não serviu de nada. Felizmente trazia mais roupa e calçado no carro. Mas para a próxima estaciono o carro mais perto da chegada e se precisar levar alguma coisa, embrulho num saco plástico. 
  • Máquina fotográfica com protecção de salpicos. Apesar de ser em àguas calmas, muitas fotos ficaram por tirar porque precisava sempre de a tirar de um saco plástico.
NOTA: Lembrem-se de prender ao barco tudo que levem. Vi 3 barcos a cometerem a proeza de virarem.



A travessia dos açudes eram sempre momentos descontração e de descanso.



E por fim tudo chegou ao fim, na praia fluvial de Barcelinhos. Felizmente só nos pediram para tirar as canoas da àgua. Não as tivemos que as arrastar até aos atrelados.




E por quanto ficou uma tarde inteira nesta actividade? Surpreendentemente foi ... grátis!!! Por isso temos todos que agradecer a associação Amigos da Montanha e a sua excelente organização.