quinta-feira, 15 de junho de 2006

Pela estrada fora (On the Road), de Jack Kerouac, 1957

Comprei este livro por curiosidade, porque estava sempre a esbarrar com referências a ele, enquanto fazia umas pesquisas turisticas sobre a California.

Este livro é um romance autobiográfico do escritor Jack Kerouac, em que retrata as suas viagens pela America e pelo Mexico. Para um livro publicado no longinquo ano de 1947, fiquei supreendido por encontrar paralelos com actualidade. Referências às diferentes drogas, às convulsões do relacionamento humano, a banalização da prostituição, a exploração dos trabalhadores miseráveis dos campos de cultivo americanos, etc: são temas actualmente bem presentes e amplamente divulgados. Mas tendo em conta as referências culturais que tinha dos EUA dessa altura (filmes acima de tudo), fiquei supreendido por as encontrar descritas neste livro.

De resto não gostei de o ler. Reconheço que o autor é umas das referência nos EUA, mas não consegui apreciar o estilo da narrativa. Achei que as descrições das viagens foram muito rápidas mas que depois demorava muito tempo em cada cidade, a descrever o que se passava e os dilemas morais das personagens. De todos as histórias de viagens só agradou-me ler a realizada ao México.

segunda-feira, 5 de junho de 2006

... e terminou o Euro 2006 Sub21

Terminou a minha participação no Euro 2006 em Sub21. Correu tudo bem e acumulei mais algumas experiências enriquecedoras como voluntário.

Como já tinha contado anteriomente, fiquei a acompanhar a selecção da Sérvia&Montenegro como motorista. As tarefas diárias de um motorista são poucas: transportar os sacos dos equipamentos para os treinos, levar membros do staff da equipa, a estádios, hotéis e aeroportos. A todas as equipas a organização disponibilizou dois carros da Ford: um Focus CMAX 1.6 Diesel e uma carrinha Connect. Basicamente alternavamos entre estes carros para as tarefas diárias.

O ritmo de trabalho tanto pode stressante (transito, horários apertados, muitos km seguidos) como puro marasmo ... sem nada que fazer durante horas senão ir para a piscina do hotel :) Mas os melhores dias acabam por ser os dias de jogos, pela toda a circunstância que mereçe. Os momentos que ficam são: seguir com escolta policial por entre o transito, o acesso aos parques exclusivos do estádio, acesso à relva minutos antes do incio de um jogo, a festa da vitoria à chegada ao hotel ... ou o ambiente pesado após uma derrota.

Ontem foi o jogo da final entre a Holanda e a Ucrania. As minhas tarefas já tinham terminado dias antes, com a eliminação da Sérvia&Montenegro. Apareci na mesma no estádio para recolher um bilhete como prémio de participação. Acabei por ser requisitado como coordenador de uma das bancadas do estádio. Foi mais uma experiencia diferente para o curriculo de voluntariado, apesar desta ter sido relativamente mais calma.

Fiquei agarrado a estas participações de grandes eventos desportivos. Não tenho conhecimentos de próximos que irão ocorrer por cá em Portugal, mas vou continuar atento a outras oportunidades noutros desportos que possam ocorrer por cá.