domingo, 31 de dezembro de 2006

Corrida de São Silvestre no Porto

Finalmente fiz uma corrida do princípio ao fim. Após participações noutras em ritmo de passeio, decidi que desta vez seria a sério.

A meteorologia não ajudava com uma persistente chuva miudinha e rajadas de vento. Estava encharcado e com frio e só tinha saído do carro à 15 minutos enquanto me dirigia a pé, para a Câmara do Porto.

Após uma corridinha de 20 min de preparação, fui para a linha da partida. Juntei-me a meio da massa humana de 5000 atletas. Faltavam poucos minutos para  as 20:30. Nesse período de tempo só pensava no que raio estava a li a fazer à chuva e a lembrar-me que a subida até à Praça do Marquês afinal até era mesmo íngreme e comprida.

Mapa do percurso

Partida! O pessoal ficou possesso. Imposeram-me logo um ritmo avassalador. Quem se sujeita a uma corrida à chuva, é porque são "pro's" e não estavam ali no passeio. Não podia abrandar ou seria atropelado por mais 2000 atletas atrás de mim. Rapidamente já estava a subir pela Rua Sá de Bandeira e já me sentia cansado. Uma olhadela ao relógio medidor de frequência cardíaca, e pânico ... este já me media 179bpm. O normal nos treinos era 160 bpm com os quais sabia que consegui fazer 10km no tapete. Era impossível manter este ritmo por mais 1 minuto. Abrandei imediatamente ...

A partir desse momento parecia que estava a caminhar para trás, tal era a quantidade de pessoas a ultrapassar-me. Mas segui ao meu ritmo. Consegui fazer a subida até à Praça do Marquês e sentia-me bem. Nesse momento só tinham passado 3 km e continuava a ser ultrapassado. Eu já olhava para trás à procura do "carro vassoura". O percurso de volta até à Praça da Liberdade, foi sem história, tirando o percurso a descer em paralelo que dava ideia que podia "malhar" a qualquer momento.

Chegava a segunda volta ao circuito. Outra vez o inferno da subida. Mas desta vez surpresa. Os primeiros a andar a passo. Primeira ultrapassagem, um tipo lesionado ou com caimbras. Minutos depois, outra ultrapassagem com um a apertar os cordões das sapatilhas. Terceira ultrapassagem, grupo de dois que faziam a subida a passo e na conversa. Quarta, um personagem vestida de monge, o qual já o ouvia desde km antes, a berrar "Aleluia" a todos que assistiam do passeio. Estava moralizado. Acelerei o ritmo logo após o fim da subida. Após alguns minutos precisei de fazer uma paragem técnica. Cordões desapertados. Felizmente não era na sapatilha com o sensor. Podia a ter perdido e ser desqualificado.

Finalmente cheguei a meta. Tinha feito o percurso em aproximadamente 1h no que se tornara no meu recorde pessoal ... e único. Tinha conquistado o meu objectivo. TERMINAR uma corrida ;-)

A parte mais dificil acabou por ser caminhar os 15 minutos para o carro. Encharcado, o frio estava a atacar. Mas estava satisfeito comigo mesmo por ter conseguido este objectivo.

Desta corrida tirei algumas lições:
  • Nunca estar na partida no meio de um pelotão de competição. Corro o risco de  sou atropelado e desmoralizar com tantos a ultrapassarem-me.
  • Não estar vestido a rigor. A roupa ficou encharcada e parecia que tinha colocado pesos no fato de treino e no corta vento. Para a próxima basta uma t-shirt e calções.
  • Estacionar o carro muito mais perto. Apanha-se um frio tremendo a andar no Porto com roupa à desportiva.
Para quem quiser saber mais informações sobre corridas organizadas cá no Norte, consultem a página da organização Clube Veteranos do Porto. Agora, só me resta planear a próxima actividade!!!

Actualizado 2007/01/03: Já sairam os resultados oficiais. Fui o 1267º a passar a meta em 1385 atletas e com o bonito tempo de 1h00m16s.

quarta-feira, 6 de setembro de 2006

Visita aquedutos subterraneos do Porto

No Porto, por baixo das suas ruas, jardins e dos poucos campos de cultivo ainda existentes, passam canais subterrâneos de transporte de água. São túneis construídos há centenas de anos atrás, com o objectivo que fornecer água potável à população da cidade.

Esses túneis estão abertos ao público para quem tiver curiosidade em os visitar. E foi com isto que passei um domingo de manhã diferente.

O passeio começou nos Jardins de Arca d'Água, onde se localiza um dos poços de entrada.


Logo aí começamos num grande espaço aberto, onde se localizam as nascentes de água. É a parte mais fotogénica da visita, porque está muito bem iluminada e tem um aspecto de termas romanas antigas.

Mas a partir daqui deixou de ser um passeio para passar a ser um treininho matinal como na tropa. Percorremos as duas horas seguintes por túneis escuros (lanternas obrigatórias), sempre a caminhar em água com alguns cm de altura (galochas obrigatórias), por espaços em que metade do trajecto vamos bater com a cabeça no tecto (capacete também obrigatório). Nem os meus normais 1,66m de altura ajudaram para variar ;) 
As palavras mais ouvidas nesta manhã eram "Cabeça", "Pedra", "Degrau", Buraco". A frase imediatamente antes - "Cuidado com ..." - era redundante e deixou de se usar ao fim de 10 minutos.

Enquanto caminhamos, o canal de água encontra-se sempre do nosso lado esquerdo. Ao fim de algum tempo, ficamos com a mão suja por estarmos sempre a usar as bordas desse canal, como apoio. Se levarem a essencial câmara de fotografar na mão direita, então uma lanterna para o capacete também é recomendável. Também recomendo que não se encostem muito à parede do lado direito. Ao ver uma das fotos tiradas no escuro com flash, descobri inúmeros bichos rastejantes e dos com mais de quatro patas, que me passaram completamente despercebidos na altura.

Durante a visita, por três vezes tivemos que fazer pequenos trajectos de ligação no exterior dos túneis. No maior percurso destes foi para passar pela linha do metro só para voltar a entrar dentro do recinto da FEUP antiga. Pelos vistos, se este passeio tivesse sido realizado a um sábado, podíamos ter feito este último percurso por mais tempo dentro de túneis. A razão era o impedimento de passar por baixo de um armazém militar existente ao lado da linha de metro. Mas pelo lado positivo, conheci mais umas zonas do Porto completamente desconhecidas ... quem diria que existia um enorme campo de cultivo, mesmo ao lado da Rua da Boavista!!!

Cinco anos na FEUP e nunca tinha reparado nisto. Por baixo das escada de cimento que fazem o acesso entre o parque do Edifício Central e o parque de Minas, encontra-se uma porta de ferro. Esta é o acesso a mais um troço de ligação destes subterrâneos. Mas foi o mais curto de todos porque terminou logo após a Praça Coronel Pacheco, numa fonte que está lá.
No fim, apesar deste passeio algo desconfortável, gostei bastante e recomendo-o vivamente a todos os nativos do Porto. Quem pretender fazer também este exercício matinal, consulte a página do SMAS do Porto, que é responsável pela manutenção deste museu histórico da cidade. Aviso que as marcações das visitas terão que ser feitas com bastante antecedência, o que demonstra bem o interesse geral por esta pequena maravilha de engenho humano português.
Outras fotos em Expresso.pt

quinta-feira, 20 de julho de 2006

Livro "O Caminho mais Longo" de Ewan McGregor e Charley Boorman, 2006 (Long Way Round)

Este livro é o diário da viagem de moto, realizada pelos actores Ewan McGregor and Charley Boorman à volta do mundo. Certo dia, estes dois apaixonados por motos, lembraram-se de tirar uns meses de férias e realizar a sua viajem de sonho. Como famosos, arranjaram facilmente patrocínios e convenceram uma produtora de televisão a custear a viagem, em troca de serem filmados em documentário. E lá seguiram à volta do mundo ...

Os capítulos seguintes contem as descrições das paisagens inóspitas que viram, das diferentes pessoas e culturas que contactaram e das peripécias vividas diariamente.

Para que não seja outro livro de turismo, também contem os seus relatos, sempre na primeira pessoa, das suas emoções a cada momento, dos conflitos e atritos gerados entre estes dois amigos (natural ao fim de tanto tempo juntos), dos seus momentos de tristeza e depressão por estarem longe da família (apesar de nos tempos modernos levarem telefones Iridium, para estarem sempre contactáveis), do cansaço acumulado pelas grandes tiradas diárias e pelos momentos de descoberta pessoal pelo contacto com quem nada (os miúdos da UNICEF) e pela solidariedade de estranhos nas situações difíceis.

Este livro irá certamente agradar a quem também gostar de viajar para destinos exóticos e “difíceis”, sem ser em excursão organizadas. Só assim irá dar o merecido valor às peripécias pelos quais eles passaram.

quinta-feira, 15 de junho de 2006

Pela estrada fora (On the Road), de Jack Kerouac, 1957

Comprei este livro por curiosidade, porque estava sempre a esbarrar com referências a ele, enquanto fazia umas pesquisas turisticas sobre a California.

Este livro é um romance autobiográfico do escritor Jack Kerouac, em que retrata as suas viagens pela America e pelo Mexico. Para um livro publicado no longinquo ano de 1947, fiquei supreendido por encontrar paralelos com actualidade. Referências às diferentes drogas, às convulsões do relacionamento humano, a banalização da prostituição, a exploração dos trabalhadores miseráveis dos campos de cultivo americanos, etc: são temas actualmente bem presentes e amplamente divulgados. Mas tendo em conta as referências culturais que tinha dos EUA dessa altura (filmes acima de tudo), fiquei supreendido por as encontrar descritas neste livro.

De resto não gostei de o ler. Reconheço que o autor é umas das referência nos EUA, mas não consegui apreciar o estilo da narrativa. Achei que as descrições das viagens foram muito rápidas mas que depois demorava muito tempo em cada cidade, a descrever o que se passava e os dilemas morais das personagens. De todos as histórias de viagens só agradou-me ler a realizada ao México.

segunda-feira, 5 de junho de 2006

... e terminou o Euro 2006 Sub21

Terminou a minha participação no Euro 2006 em Sub21. Correu tudo bem e acumulei mais algumas experiências enriquecedoras como voluntário.

Como já tinha contado anteriomente, fiquei a acompanhar a selecção da Sérvia&Montenegro como motorista. As tarefas diárias de um motorista são poucas: transportar os sacos dos equipamentos para os treinos, levar membros do staff da equipa, a estádios, hotéis e aeroportos. A todas as equipas a organização disponibilizou dois carros da Ford: um Focus CMAX 1.6 Diesel e uma carrinha Connect. Basicamente alternavamos entre estes carros para as tarefas diárias.

O ritmo de trabalho tanto pode stressante (transito, horários apertados, muitos km seguidos) como puro marasmo ... sem nada que fazer durante horas senão ir para a piscina do hotel :) Mas os melhores dias acabam por ser os dias de jogos, pela toda a circunstância que mereçe. Os momentos que ficam são: seguir com escolta policial por entre o transito, o acesso aos parques exclusivos do estádio, acesso à relva minutos antes do incio de um jogo, a festa da vitoria à chegada ao hotel ... ou o ambiente pesado após uma derrota.

Ontem foi o jogo da final entre a Holanda e a Ucrania. As minhas tarefas já tinham terminado dias antes, com a eliminação da Sérvia&Montenegro. Apareci na mesma no estádio para recolher um bilhete como prémio de participação. Acabei por ser requisitado como coordenador de uma das bancadas do estádio. Foi mais uma experiencia diferente para o curriculo de voluntariado, apesar desta ter sido relativamente mais calma.

Fiquei agarrado a estas participações de grandes eventos desportivos. Não tenho conhecimentos de próximos que irão ocorrer por cá em Portugal, mas vou continuar atento a outras oportunidades noutros desportos que possam ocorrer por cá.

quinta-feira, 18 de maio de 2006

Começou o Euro 2006 Sub21 ...

Para mim, começa hoje o Campeonato Europeu de Sub 21. Fiquei com a função de "team liason officer" (aka motorista), da selecção da Sérvia&Montenegro. A minha função será de os levar do hotel, para os campos de treino e para os jogos.

As perspectivas para a equipa são promissoras com base no historial das suas participação em edições anteriores deste campeonato. Mas o mais importante é que a estadia deles decorra sem incidentes. É sempre motivo de orgulho quando voltam para casa com boa opinião do país e da hospitalidade portuguesa ... Vou fazer por isso!

Como irei estar de serviço 24/7, no hotel com eles, não irei actualizar o blog nos próximos dias. Fica um até breve ...

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2006

Uma semana ao serviço da UEFA!

Acabou o estágio de preparação para o Campeonato Europeu de Sub-21!

Estes dias da cerimónia do sorteio dos grupos, foram de muito trabalho e cansativos mas valeu a pena. Serviu para reviver as grandes emoções do Euro 2004.

A função que me calhou foi de motorista! Basicamente andei a transportar pessoas entre o Aeroporto e o Hotel. No último dia andei a transportar alguns delegados de uma selecção pelo Norte do país. Andamos a ver os estádios, os centros de treino e possíveis hotéis.

Agora resta-me esperar pelo inicio do campeonato no dia 21 de Maio. Talvez me chamem outra vez e melhor ainda, fique ao serviço de uma selecção.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2006

Já sei o que vou fazer nesta semana de voluntariado ...

... sou motorista de selecções ... outra vez!!!

Hoje tivemos o primeiro "briefing" com os voluntários. Foi no Hotel Le Meridien, no Porto. Quando entrei no "hall" de entrada já se notava uma movimentação suspeita de jovens, todos na amena cavaqueira e a cumprimentarem-se. Mais tarde soube que tinham sido todos colegas durante as semanas do Euro. Eu como estive ao serviço da equipa da Suécia em Lisboa, acabei por não conviver com os voluntários ... porque fiquei alojado com a equipa, nos hotéis de luxo perdidos em Caicais e no Algarve. Por isso não os conhecia a não ser o meu primo e, surpresa, um colega meu da FEUP.

Finalmente acabaram por aparecer os elementos da organização! Recenheci imediatamente os elementos do IPJ e os da organização do Euro.

Fomo encaminhados para à discoteca do Hotel. Não para começar já com uma "party" às 14h da tarde, mas para ouvir o discurso inicial do director da prova a dar-nos as boas vindas e agradecer a disponibilidade. Mas passaram logo para a indicação das tarefas ... O meu nome era logo o primeiro da lista. Fiquei com a função de motorista ao serviço das selecções. Bem ... lá vou ter que fazer a mala para dormir no Hotel de 5 estrelas! ;)

Entretanto apareceu também o meu antido chefe (TLO) da equipa sueca, o Valter. Trocou de camisola e é agora o TLO (Team Liason Officer) da Dinamarca. Tinha chegado mais cedo para aproveitar o nosso Solzinho, que ele já não via à meses.

Só a partir de amanhã é que entro realmente ao serviço. Depois do sorteio é que sei qual vai ser a minha* selecção mas já dá para dar umas voltas reconhecimento de terreno, nos Ford Galaxys da frota, disponibilizada para este evento.

*Claro que a selecção há só uma ... a portuguesa!

domingo, 5 de fevereiro de 2006

WRT54G com o firmware pirata da DD-WRT

Actualização 2009/04/10 - Ao fim destes anos todos de bom serviço do DDWRT, decidi experimentar a versão mais recente - DD-WRT v24-sp1 (07/27/08) std. A instalação correu bem. As novas funcionalidades mais evidentes são os gráficos de tráfego por dia e de velocidades de download/upload num determinado instante.

Em minha casa sempre tivemos a necessidade de ter vários computadores ligados em simultâneo à Internet. Como o modem da Netcabo só tem uma saída para ligar um só computador, era obrigatório comprar um aparelho que disponibiliza-se esta funcionalidade - um router.

Só foram necessárias algumas horas de pesquisa na Net, em busca do mais adequado. Todos os artigos apontavam para o Linksys WRT54G o qual acabamos por comprar.

Bem, este brinquedo, desde que foi ligado e configurado pela primeira vez, ficou "esquecido" num canto da casa, mas sempre a trabalhar 24/7 sem nunca falhar-nos. RECOMENDADO!!!

Ultimamente tenho estado desconfiado do exagero de consumo de tráfego apresentados pela Netcabo. Dava jeito que o meu router de alguma forma, me contabilizasse todo o tráfego gerado cá em casa. Assim podia comparar com a factura da Netcabo.

Encontrei este texto que apontava para a ferramenta desejada - Bandwidth Log. Mas antes de o testar tinha que cometer um sacrilégio ... mudar o cérebro (firmware) do meu router que tão bem me tinha servido este tempo todo. Havia o risco de que com esta operação, transformar o router num tijolo sem utilidade alguma!
Mas racionalizando com o que estava a pagar a mais de multa, da Netcabo, dava para comprar um novo em alguns meses. Decidi avançar e instalei o firmware indicado nessa página, o DD WRT. Se estão a ler esta notícia é porque correu tudo bem ...

Ainda não tenho disponível a funcionalidade que pretendia. Vai dar mais trabalho de investigação e experimentação do que pensava inicialmente. Mas de certeza que esta nova visão que tenho do router vai ajudar:

~ # uname -a
Linux  2.4.32 #432 Sun Dec 25 17:09:29 UTC 2005 mips unknown

... acesso por ssh à consola Linux que corre no WRT54G.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2006

Fui convocado para o Europeu de Sub-21... como voluntário!!!

Hoje de manhã cedo, estava eu a conduzir para o meu local de trabalho na Maia, quando o telemóvel começa a tocar. Estranhei! Não é costume receber telefonemas aquela hora, especialmente de números desconhecidos. Após a atrapalhação habitual com o auricular bluetooth, atendi chamada e … surpresa:
“Bom dia, daqui é IPJ … bla bla … interessado em servir como voluntário … bla bla … sorteio do Sub-21… Podemos contar consigo?”

Espectáculo! Sem esperar, acabava de ser convocado como voluntário. Precisam de ajuda para o evento do sorteio dos grupos, das equipas que vão participar no Campeonato da Europa de Futebol em Sub-21.
Passada uma hora, já com a devida autorização da minha empresa (EFACEC) para meter a semana de férias, confirmei a minha total disponibilidade com o IPJ!

Esta segunda-feira, dia 6 de Fevereiro, tenho que me apresentar ao serviço no Aeroporto, para receber o briefing das minhas actividades para os próximos dias. Vamos lá ver qual vai ser surpresa que me calha desta vez!!!

Este telefonema do IPJ, não acontece por acaso. Há dois anos atrás, consegui ser aceite como voluntário para o grande evento em Portugal desse ano … o Euro 2004 em Futebol! E foi assim que passei três semanas de momentos inesquecíveis, como motorista da selecção sueca de futebol, a acompanha-los por todo o país.

Faz como eu … mexe-te e inscreve-te já hoje como voluntário! Consulta a páginaoficial do Voluntariado Jovem em Portugal. Verifica os potenciais projectos existentes perto da tua região, aos quais possas dar o teu contributo. Acredita que é uma experiencia enriquecedora como cidadão!