quinta-feira, 15 de setembro de 2005

InterRail 2005, Sofia (10ºdia)

Com atrasos sucessivos causados pela partida tardia de Bucareste, so chegamos a Sofia a' 1h da tarde. Quatro horas de atraso em relacao ao previsto, ja tendo em conta a nova hora a que partimos.

Saimos da carruagem e aparece logo um valhote com um fato de macaco dos caminhos de ferro, a perguntar se precisamos de ajuda. Claro que aceitamos, pq estavamos a' procura dos "lockers". Iamos com ele ao longo do terminal e comecamos a subir as escadas. Entretanto uma jovem, aparece ao meu lado e segrega que o valhote so quer extroquir dinheiro e que era melhor nos afastarmos. Nesse preciso momento, vemos o simbolo dos "locker" a apontar para baixo, enquanto ele nos levava para o piso de acesso ao exterior ... deixamo-lo seguir o caminho sozinho.

Sofia e' uma cidade mesmo feia e suja. A unica coisa que sobresai e' a quantidade de carros velhos que circulam em contraste com os Mercedoes topo de gama. Estes ultimos sempre escoltados por outros carros com vidros escuros. Para dizer a verdade, so se via servicos de escolta e forcas policiais privadas a circular pela cidade.

Como nao havia mais para ver, acabamos por ir ao unico restaurante com bom aspecto naquela cidade. Fomos comer um merecido grelhado de carnes do Happy Grill. E que contentes que estavamos. As empregadas eram todas tipo modelos louras, escolhidas a dedo de certeza. Cativante eram as sua fardas de trabalho: mini e mini saias pretas com umas blusas minimas. Nao admira que estivesse a pinha. Enquanto esperavamos pelo jantar, convencionamos saltar o almoco, iamos apreciando a fauna local. Havia pessoas de todo os cantos do mundo, mas nao eram turistas como nos. Ainda deu para escutar uma conversa entre dois gordos com aspecto mafioso. So se ouvia um a dizer quantidades e o outro o preco em euros, com uns DA e NU pelo meio ... droga talvez?!?

Bem, apos o almoco ficamos por la a fazer horas e a apreciar as vistas ate serem horas de ir para estacao. Nao iamos de certeza gastar um dia do nosso precioso tempo naquele buraco. Toca logo a ir para a estacao.
De volta para a plataforma de embarque e aguardavamos ... enquanto diziamos "gentilmente" aos locais que nao precisavamos de ajuda.

O comboio chegou. O nosso vagao era os do com cama. Ja tinha chegado por agora, experiencias como da noite anterior. Decidimos nao arriscar nestas paragens do oriente. Juntamente connosco estava um casal de belgas a' espera do mesmo comboio. Era o Christphor e o Tom e eram hospedeiros na companhia aerea SN Bruxels.

Claro que nesta regiao do mundo, os comboios nao funcionam como o esperado. A carruagem das camas estava fechado. "No stress" ... ainda falta 30 minutos para a partida. Um minuto para a partida ... o vagao ainda estava fechado. Estavamos ja todos preparados para saltar para o vagao ao lado, ao minimo de sinal da partida. Chegou a hora ... e o comboio continuava parado. Passou UMA HORA, ate' que um valhote, com cara de quem acabou de acordar, aparece para nos deixar entrar. Finalmente. Todas as outras carruagens estavam com pessoas com a cabeca de fora a olhar para nos. Sentiamos que a culpa era nossa pelo atraso. Afinal so estavamos nos e os belgas para aquele vagao.

Os compartimentos das camas era espectacular. Duas camas confortaveis (ou o cansaco era muito), e um bide para lavar a cara e os dentes. Havia muito espaco la dentro. Apos nos instalar fomos para o corredor falar com os belgas logo no compartimento ao lado. E o comboio continuava parado!!!

Bem, passados uns 30 minutos, la sentimos um solavanco no comboio. Nao era a partida mas sim outro comboio que se tinha juntado ao nosso. Logo a seguir entraram um casal de Eslovenas. Eram elas as culpadas pelo atraso. O comboio dela tinha sido atrasado algures na Croacia porque o presindente do pais estava a viajar de comboio e logo todos os outros tiveram que esperar pela sua Exa passase. O comboio finalmente partiu passado alguns minutos. Proximo destino: Istanbul! E mais uma vez, vai chegar atrasado!